Dr. Claudio Suzuki

Artigos

  • 2018 (6)
  • 2017 (16)
  • 2016 (14)
  • 2015 (40)
  • 2014 (28)
  • 2013 (75)
  • 2012 (108)
  • 2011 (95)
  • 2010 (15)
  • 2009 (1)
  • E-mail
    Imprimir
    PDF

    O Estado de São Paulo atingiu índice de aprovação de 34,97% dos candidatos na primeira fase do XV Exame de Ordem Unificado, totalizando 7.960 bacharéis de Direito que farão a prova da segunda fase.


    As quatro cidades que tiveram maior índice de aprovação foram Franca (49,57%), São Carlos (42,22%), Marília (42,15%) e Ourinhos (42,07%). Os menores aproveitamentos foram apresentados em Adamantina (27,64%), Araraquara (27,85%), Osasco (28,25%) e Guarulhos (29,64%). Na capital, entre 8.155 candidatos, 2.826 foram aprovados, resultando em índice de 34,65% de aprovação (veja a tabela completa abaixo).

    Na primeira fase do Exame de Ordem, o bacharel em Direito responde a 80 questões de múltipla escolha, precisando acertar 50% das questões válidas para chegar à segunda fase. Nesta nova etapa, os candidatos farão a prova prático-profissional, responde por escrito a questões de áreas específicas do Direito, previamente escolhidas por ele, sendo que terá de redigir uma peça profissional (petição). A nota mínima para aprovação é de seis pontos.

    Os candidatos podem consultar mais informações por meio da Fundação Getúlio Vargas, instituição que organiza a aplicação das provas: http://oab.fgv.br/.

    XV Exame de Ordem Unificado
    Município da Prova Número de Candidatos Habilitados na 1ª Fase Índice de Aprovação
    Adamantina / Dracena / Tupã 123 34 27,64%
    Americana  459 156 33,99%
    Araçatuba 369 126 34,15%
    Araraquara 219 61 27,85%
    Assis 130 40 30,77%
    Avaré 142 59 41,55%
    Barretos 231 92 39,83%
    Bauru 388 148 38,14%
    Bragança Paulista 300 112 37,33%
    Campinas 1140 467 40,96%
    Esp. Sto Pinhal 122 45 36,89%
    Franca 232 115 49,57%
    Guarulhos 803 238 29,64%
    Itapetininga 198 65 32,83%
    Jau 104 36 34,62%
    Jundiaí 535 176 32,90%
    Marília 242 102 42,15%
    Mogi das Cruzes 658 220 33,43%
    Osasco 1455 411 28,25%
    Ourinhos 164 69 42,07%
    Piracicaba 422 145 34,36%
    Pres. Prudente 400 142 35,50%
    Ribeirão Preto 674 272 40,36%
    Santos 814 285 35,01%
    S B do Campo / S Caetano do Sul 1363 438 32,13%
    São Carlos 135 57 42,22%
    S J Boa Vista 154 64 41,56%
    S J Rio Preto 631 238 37,72%
    S J Campos 512 191 37,30%
    São Paulo 8155 2826 34,65%
    Sorocaba 634 234 36,91%
    Taubaté 520 193 37,12%
    Votuporanga 337 103 30,56%
    Total 22765 7960 34,97%


    A aprovação no Exame de Ordem é obrigatória para que o bacharel em Direito ingresse nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil e possa exercer legalmente o ofício, como previsto na Lei Federal 8.906-94 (Estatuto da Advocacia), artigo 8º, IV. 

    Importante instrumento de proteção da cidadania, a “prova da OAB” resistiu a ataques por quatro décadas e teve sua constitucionalidade reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal. Em 2014, o Exame de Ordem completou 40 anos de sua implantação obrigatória na OAB SP, onde surgiu por iniciativa do então presidente Cid Vieira de Souza, e se expandiu para todo o país. 

    “O Exame de Ordem tem grande importância para a história da advocacia e da cidadania. A queda da qualidade do ensino jurídico no país nas últimas décadas motivou uma reação da OAB SP, que criou o Exame de Ordem como medida necessária para mensurar o conhecimento jurídico básico do bacharel em Direito que desejasse ser advogado. Dessa forma, protegia a classe, evitando colocar no mercado um advogado sem o devido preparo técnico-jurídico e protegia a sociedade de profissionais despreparados para o patrocínio de suas causas”, explica Marcos da Costa, Presidente da OAB SP.

    Fonte: OABSP

    Você deve se registrar para postar comentários.

    Utilize o ícone de ferramenta no alto da janela para o cadastro.